fbpx
Close

julho 13, 2021

5 práticas que deixam mais longe da fluência do inglês

5-praticas-que-te-deixam-mais-longe-da-fluencia-do-ingles-capa

“Estudo, estudo e estudo e sinto que não aprendo inglês. O que será que estou fazendo de errado?”

Este artigo vai compartilhar com você 5 práticas que te deixam mais longe da tão sonhada fluência no inglês e, quem sabe, seja essa a resposta à sua dificuldade em alcançar a proficiência.

Este post aborda as cinco atitudes, que são:

  1. Falta de disciplina
  2. 8 ou 80
  3. Acumular muita teoria antes de praticar
  4. Estudar de forma incorreta
  5. Não revisar

Falta de disciplina

Essa prática, se não evitada, vai te prejudicar não só no alcance da fluência em inglês, mas, também, em qualquer outro objetivo da sua vida.

Sabe aquela famosa lista de desejos para o ano novo, que nunca saiu do papel? Pois é, estamos falando da falta de disciplina! O ser humano, naturalmente, é indisciplinado, afinal, nosso cérebro tenta ao máximo gastar o mínimo possível de energia, como um mecanismo de defesa praticamente primitivo.

Criar um novo hábito, portanto, exige esforço e energia e por isso é tão difícil começar um novo projeto. Mas, afinal, como driblar esse mecanismo natural da nossa mente?

São duas as estratégias que podem ser aplicadas:

  1. Ter em mente o motivo pelo qual aquele esforço está sendo despendido. Se você não souber, claramente, a razão que te faz estudar inglês, certamente a indisciplinada tomará conta das suas atitudes. Lembrando que essa motivação não precisa ser grandiosa, como estudar um pós-doutorado na Inglaterra; basta ser suficientemente importante para você;
  2. Estabeleça mini-metas, que sejam alcançáveis e bem específicas. Ao invés de se exigir um estudo de 1 hora, estabeleça um estudo de 2 páginas ou de 15 minutos, certamente será mais fácil cumprir tais metas.

8 ou 80

Não adianta estudar só teoria ou só prática: você precisa ter um equilíbrio! Por um lado, a teoria tende a deixar as pessoas mais engessadas e inseguras, com dificuldade de se expressarem oralmente; por outro lado, estudar só a prática aumenta as chances de se cometer erros e não corrigi-los, postergando por um tempo desnecessário o alcance da fluência, afinal, você sempre fala errado.

Outro problema de somente focar na prática é que os erros acabam por ficar engessados, representando uma dificuldade de aprendizagem muito grande, desproporcional à verdadeira complexidade do tema. Além disso, pessoas que só praticam tendem a ter problemas de comunicação quando o contexto é diferente, ou seja, só dominam frases prontas.

O ideal, portanto, é aliar estudo de teoria e de prática; é saber aquilo que se almeja na prática (por exemplo, querer saber se apresentar) e buscar a teoria para auxiliar.

Acumular muita teoria antes de praticar

A fluência significa, justamente, fluir; é a capacidade de passar a sua mensagem a alguém. Portanto, não faz sentido algum aguardar um acúmulo de conhecimento na teoria para, só depois de um tempo, começar a colocar em prática, já que isso não é ser fluente.

O ideal é atentar-se à teoria e, em seguida, colocar em prática, para ser uma pessoa fluente mas, também, para desenvolver a sua confiança.

Estudar da forma incorreta

Mais importante do que se esforçar, é saber como se deve esforçar-se de forma correta. Para que o estudo seja eficiente, ele deve contemplar momentos de autoanálise e de reflexão, não apenas despender horas estudando a teoria.

Esforço é importante sim! Mas é tão importante quanto a análise da sua prática e a reflexão sobre o que pode ser feito para melhorar.

Não revisar

Já fizemos um vídeo sobre o porquê das pessoas esquecerem aquilo que estudam, confira!

O estudioso alemão Ebbinghaus verificou quanto tempo o cérebro consegue manter uma informação e chegou a resultados um pouco espantosos, por exemplo, que depois de 20 minutos o cérebro esquece aproximadamente 20% do conteúdo.

Portanto, um grande erro que muitos estudantes ainda cometem é esse: não revisam! O correto é fazer mais de uma revisão, a chamada revisada espaçada: uma revisão é feita 24 horas depois do estudo; a segunda, um mês após e, a última, cerca de 3 meses depois do estudo.

O processo de aprendizado deve ser encarado de frente, não (você) como mero figurante ou como alguém que muito delega a responsabilidade do estudo. Mentores são muito importantes, mas o aprendizado é seu! Então entenda que essas pessoas são referências, são suportes, mas você é o responsável pelo seu aprendizado.

Estudar é um hábito! Adquirir fluência também é um hábito constituído de todas as boas práticas de estudo.

Não se esqueça que além de alcançar a fluência, outro aspecto fundamental é mantê-la. Então é uma ilusão achar que existe uma fórmula mágica para ser fluente em inglês, já que isso não serve de nada se você não for capaz de mudar a sua mentalidade e seus hábitos, tornando-se alguém consciente das suas falhas.

Já é tão difícil conciliar o estudo e a prática do inglês com todos os fatores de nossas vidas, não é mesmo? Logo, se mesmo assim você se dispôs a aprender algo, dedique-se! Se entrou na dança, dance! E dance conforme a música que está tocando, não adianta ficar esperando pela música perfeita.

Que este artigo, portanto, te ajude a analisar quais as práticas acima possivelmente estejam prejudicando o seu caminho rumo à fluência e, consciente disto, que você possa traçar estratégias para vencê-las.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.